sábado, 31 de outubro de 2009

É incrível, vivemos num universo cheio de possíbilidades!!!

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Uma prova de amor

Se for assistir prepare a caixa de lenços, eu dúvido que alguém não se emocione! Esse filme é lindissimo, e leva a várias reflexões, sobre a vida e sobre a morte, sobre ser mãe de um filho com leucemia, sobre ser projetado para salvar a vida de um irmão, sobre viver numa familia onde um doente significa todos estarem doentes.
O que fariamos no lugar de mãe? de filha projetada? de filha doente?

O interessante é que fui assistir esse filme depois de uma palestra sobre epilepsia, e eu fica me perguntando, porque o advogado tem um cachorro guia?

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Olhar

Quando me perguntam sobre o que mais gosto em mim, de primeira, digo, os olhos, são meus olhos que me mostram o mundo, minha janela da alma. Se me perguntassem o que me faria mais falta na vida, eu diria meus olhos.
Ver é ter tudo, ver é conhecer, aprender, examinar, contemplar, é ver-se, descobrir-se, é saber, é provar, é admirar.
Tem vezes que olhamos errado, enxergamos meio embaçado, a vida multicor às vezes parece toda cinza, nessa hora atenção para o foco, hora de regular.
Já olharam pro mar, pro amanhecer, pra lua cheia, pra criança sorrindo, para o pássaro cantando? Que bom é poder ver.
Olhar significa estudar, examinar, observar, agente às vezes perde os detalhes, mas não deixa de ver o fundamental...
Mas como diz a história do pequeno príncipe, o essencial é invisível aos olhos. Não é possível ver, por exemplo, o amor, mas é possível senti-lo através dos olhos de quem ama; não é possível ver o vento, mas sabemos que ele existe quando bate nas folhas das árvores, quando faz ondas no mar, é difícil ver a amizade quando não se tem um amigo, assim como o amor, a amizade agente vê os olhos do outro, naquele momento que os olhos parecem dizer, estou aqui, estou do seu lado. Os olhos não falam, expressam... os lábios dizem...
Sábio Sócrates: “o sorriso é a manifestação dos lábios, quando os olhos encontram o que o coração procura”
Ver é ter um mundo todo!!!

Escrevi essa reflexão em maio desse ano no meu antigo blog, resolvi postar aqui hoje porque fui visitar uma instuição para cegos, para um trabalho da faculdade.

A casa do lago



Imagine encontrar o amor de sua vida, preencher o vazio de seu coração , mas não puder tocar ou abraçar este grande amor...por que ele está dois anos ,no tempo ,distante de você. Com essa genial idéia , este filme sensível , romântico e inspirador nos faz refletir no que seja o momento presente e a valorização das coisas simples que nos fazem sentir vivos. Aproveite o seu dia e oportunidade , pois pode ser que ela passe e não mais regresse.
Preste bastante atenção , não se distraia nem mesmo para fazer pipoca , pois cada cena deste filme esta linkada a uma outra e esta outra pode ser decisiva como num jogo de xadrez ( " quem tocar numa peça , tocou o jogo todo"). Qualquer distração te fará perder de vista a magia renovadora que é o propósito desta bela película.

Para ver , chorar e renovar-se...

Fonte: http://www.terraespiritual.locaweb.com.br/espiritismo/filme89.html

sábado, 24 de outubro de 2009

Sorri

Sorri quando a dor te torturar
E a saudade atormentar
Os teus dias tristonhos vazios
Sorri quando tudo terminar
Quando nada mais restar
Do teu sonho encantador
Sorri quando o sol perder a luz
E sentires uma cruz
Nos teus ombros cansados doridos
Sorri vai mentindo a sua dor
E ao notar que tu sorris
Todo mundo irá supor
Que és feliz

Charles Chaplin

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Águia

A História da Águia é bem conhecida, mas vale a pena uma constante reflexão.


A águia é a ave que possui a maior longevidade da espécie. Chega a viver 70 anos. Mas para chegar a essa idade, aos 40 anos ela tem que tomar uma séria e difícil decisão.

Aos 40 anos ela está com:

• As unhas compridas e flexíveis, não conseguem mais agarrar as suas presas das quais se alimenta.

• O bico alongado e pontiagudo se curva.• Apontando contra o peito estão as asas, envelhecidas e pesadas em função da grossura das pernas, e voar é tão difícil.Então a águia só tem duas alternativas :

• Morrer

• Ou enfrentar um dolorido processo de renovação que irá durar 150 dias.Esse processo consiste em voar para o alto de uma montanha e se recolher em um ninho próximo a um paredão onde ela não necessite voar. Então, após encontrar esse lugar, a águia começa a bater com o bico em uma parede até conseguir arrancá-lo.Após arrancá-lo, espera nascer um novo bico, com o qual vai depois arrancar suas unhas.Quando as novas unhas começam a nascer, ela passa a arrancar as velhas penas.E só após cinco meses sai para o famoso vôo de renovação e para viver então mais 30 anos.

A Conquista da Felicidade

Toda a desilusão é para mim uma doença que certas circunstâncias podem tornar inevitável, é verdade, mas que, quando se produz, nem por isso deve deixar de ser tratada o mais rápidamente possível, em vez de ser olhada como uma forma superior de sabedoria. Um homem, suponhamos, gosta de morangos e um outro não gosta; em que é que o último é superior ao primeiro? Não há nenhuma prova impessoal e abstracta de que os morangos sejam bons ou maus. Para quem gosta são bons, para quem não gosta são maus. Mas o homem que gosta tem um prazer que o outro não conhece; sobre este ponto, a sua vida é mais agradável e está melhor adaptado ao mundo onde ambos têm de viver.
O que é verdadeiro neste exemplo trivial é igualmente verdade nas questões mais importantes. O homem que gosta de assistir a desafios de futebol é sob esse aspecto supeior ao homem que não gosta. O que aprecia a leitura é ainda mais superior do que aquele que não a aprecia, pois as oportunidade de ler são mais frequentes do que as de ver desafios de futebol. Quanto mais objectos de interesse um homem tem, mais ocasiões tem também de ser feliz e menos está á mercê do destino, pois se perder um pode recorrer a outro. A vida é demasiado curta para nos permitir interessar-nos por todas as coisas, mas é bom que nos interessemos por tantas quantas forem necessárias para preencher os nossos dias. Somos todos propensos à doença do introvertido que, perante o multiforme espectáculo que o mundo lhe oferece, desvia a vista para contemplar somente o vazio dentro de si.

Bertrand Russell, in "A Conquista da Felicidade"

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Hoje o dia está triste, cinza e frio, e me coloco a pensar sobre a vida...
Gosto desse vento frio que toca minha pele, mas como é bom poder contar com um abraço quente!
Não deixe pra depois o que você pode fazer agora, não deixe pra amanhã, faça hoje!

Viva a vida! Sorria, faça sorrir, abrace, ame, cante, chore, grite, dance, aprenda novas línguas, coma coisas esquisitas, tome banho de chuva, tome um banho quente demorado, olhe o céu, contemple as estrelas, se aquiete, estravaze...
...Viva a vida!
A única coisa que existe é o hoje!

domingo, 18 de outubro de 2009

Não é a primeira vez que estou assistindo Ichi rittoru no namida (Um litro de lágrimas), mas sinto que dessa vez estou enxergando a novela com outros olhos, a primeira vez que assisti, isso deve ter uns 3 ou 4 anos, me emocionei muitíssimo, devo ter chorado 1 litro de lágrimas com a comovente história de Aya Ikeuchi (nome fictício, mas a novela é baseada em fatos reais), que com apenas 15 anos descobriu possuir uma doença incrivelmente cruel, degeneração espinocerebelar, doença cuja cura ainda não existe e que leva a pessoa progressivamente perder os movimentos do corpo, assim como a fala, sem perder a consciência. Algo em mim mudou e me faz perceber como somos seres transitórios, eu imagino que tenho ficado mais racional, me recordo que no primeiro contato com a história eu percebia a Aya como uma guerreira e a admirava, vendo ela lutar valente, se exercitando na fisioterapia mesmo sabendo que perder seus movimentos era algo inevitável. Hoje vi a mesma história, mas com uma percepção diferente, não via uma Aya valente, via uma Aya amedrontada, assustada, agarrada à uma coragem que a fazia esquecer de certa maneira sua condição. Mas é inevitável fugir as lágrimas....


Nós somos seres muito egoístas, tão egoístas que algumas vezes não aceitamos a nossa própria condição mortal, talvez a maioria no lugar de Aya também ambicionasse por viver mais, mesmo naquela condição. Mas uma coisa dentro de mim não mudou, o aprendizado que essa história me deu na época é reforçado cada vez que eu a revejo.

Ando muito interessada pelas questões que envolvem as interações sociais, e nesse olhar atual sobre a novela consegui focar mais nessa temática, o movimento que a doença de Aya provocou em seu meio, em sua família, na escola, no bairro em que morava, a discriminação, a busca por adaptação, a busca por sentindo para a própria vida que Aya via deteriorar-se cada dia, a falta de possibilidade realizar seus sonhos. Ela não realizou seus sonhos, mas ajudou algumas de suas pessoas queridas encontrarem os delas e deixou suas palavras motivadoras àqueles que sofrem, através dos diários que escreveu ao longo do desenvolvimento e agravamento de sua doença,uma lição não só pra quem sofre da mesma doença, seja o doente ou a família envolvida, mas para aqueles que desistem de seus sonhos por tão pouco.

 

Reforço agora uma frase que deixei num outro momento:

Somados somos mais fortes!

 

Sonhe, crie metas, ultrapasse os obstáculos, a vida é um sopro não deve ser desperdiçada com sentimentos pequenos...

Alimente os bons sentimos! A sua vida faz diferença na vida dos que passam por ela!!!


Os epiódios da novela foram:
Ep 01: ある青春の始まり / O Início de minha juventude

Ep 02: 15才、忍びよる病魔 / 15 anos de idade, a doença que os rouba

Ep 03: 病気はどうして私を選んだの / Por que esta doença me escolheu?

Ep 04: 二人の孤独 / A Solidão de duas pessoas

Ep 05: 障害者手帳 / Caderno de uma pessoa deficiente

Ep 06: 心ない視線 / Olhares sem coração

Ep 07: 私のいる場所 / O lugar onde estou

Ep 08: 1リットルの涙 / 1 litro de lágrimas

Ep 09: 今を生きる / Vivo o agora

Ep 10: ラブレター / Carta de amor

Ep 11: 遠くへ、涙の尽きた場所に / Longe, para o lugar em que as lágrimas secaram

O fato de eu estar viva é uma coisa tão encantadora e maravilhosa que me faz querer viver mais e mais.



Última frase de Aya em seu diário.

Xicovate

Seguindo minhas pesquisas encontrei esse video do Terça Insana e achei ótimo pra descontrair rsss, divirtam-se:

Adolescência - Terça Insana



Estava pesquisando sobre esse fenômeno cultural, encontrei esse video que bem expressa os dilemas dos adolescentes... divirtam-se

sábado, 17 de outubro de 2009

Fernando Pessoa

"A vida é para nós o que concebemos dela
Para o rústico cujo campo lhe é tudo, esse campo é um império
Para o César cujo império lhe ainda é pouco, esse império é um campo
O pobre possui um império, o grande possui um campo
Na verdade, não possuimos mais que as nossas próprias sensações,
nelas, pois, que não no que elas vêem, temos que fundamentar a realidade na nossa vida".
Fernando Pessoa

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Sunshine

Semana passada foi solicitado em uma das questões da prova bimestral da faculdade que falasse sobre um filme e enfoque fenomenologico dele, eu quis falar sobre o filme Sunshine, mas já tem quase 10 que eu o assisti, não lembrava muito bem das cenas mas consegui temporarlizar, ou será que espacializei para aquele dia em que eu escolhi o filme para assistir, a fotografia da capa do VHS parecia tratar de um romance, mas se tratava de um drama, quando aluguei o filme não imaginei que iria ver a história de 3 gerações de uma familia que sofreu com a terrivel tirania de Hittler, hoje encontrei na internet uma grande descrição do filme, para quem gosta do tema é um bom filme, um bom longo filme.... quero assistir ele novamente,


SUNSHINE - O despertar de um século



TÍTULO DO FILME: SUNSHINE - O DESPERTAR DE UM SÉCULO (Sunshine, Áustria/Canadá/Alemanha/Hungria, 1999)



DIREÇÃO: István Szabó



ELENCO: Ralph Fiennes, David de Keyser, Jennifer Ehle; 179 min.







TEMÁTICA



No filme, o ator Ralph Fiennes vive uma verdadeira metamorfose (pai, filho e neto), interpretando três gerações da família Sonneschein, um clã judeu que vai perdendo sua identidade para sobreviver em meio ao anti-semitismo, guerras e perseguições políticas.



No início do século XX, o esforçado advogado Ignatz, um jovem tímido e apaixonado pela prima-irmã adotiva Valerie, é convidado para o cargo de juiz e aconselhado a trocar seu sobrenome judeu. Para não abrir mão da convivência com o imperador da Áustria-Hungria, Ignatz assina sentenças que legitimam o arbítrio do governo.



Com o assassinato do arqueduque Francisco Ferdinando (herdeiro do trono austro-húngaro) por um grupo nacionalista sérvio, inicia-se a Primeira Guerra Mundial e Ignatz arrasa seu casamento e se afasta dos filhos para participar do conflito.



Seu filho Adam, um talentoso esgrimista, também sofre o mesmo preconceito, sendo obrigado a se converter ao catolicismo para poder participar das Olimpíadas de Berlim, com a cidade já tomada pelos nazistas. Com o crescimento do anti-semitismo, grande parte da família é perseguida e Adam é executado num campo de concentração na frente de seu filho, Ivan. Este, promete vingar o pai, tornando-se um perseguidor de nazistas para o governo comunista instalado no final da Segunda Guerra Mundial.



CONTEXTO HISTÓRICO



O filme de István Szabó é uma bela aula, onde em quase três horas a história da Hungria e alguns dos momentos mais dramáticos do século XX, registram a decadência do Império Austro-Húngaro, a Primeira Guerra Mundial, a ascensão do nazismo, os campos de concentração, a derrota da Alemanha, a ascensão do comunismo no leste europeu, a ditadura dos governos stalinistas e, por fim, a queda dos mesmos na última década do século XX.



A derrota da Alemanha na Primeira Guerra Mundial (1914-18) e a humilhação a que fora submetida pelo Tratado de Versalhes, deixaram o país à beira da anarquia e da guerra civil. A República proclamada na cidade de Weimar foi dominada por setores moderados que não conseguiram combater a miséria e nem controlar os movimentos políticos de esquerda. Sob pressão dos militares e de grupos nacionalistas totalitários, como os nazistas, a República de Weimar vivia ameaçada. A situação do país agravou-se com a crise mundial de 1929 atingiu a economia que se recuperava desde 1923, radicalizando as oposições. A articulação entre monarquistas conservadores, setores militares e empresariado, facilitou a ascensão de Hitler ao cargo de chanceler em 30 de abril de 1933.



Alguns meses depois, Hitler estabeleceu um Estado totalitário, com um poderoso e disciplinado aparato paramilitar, destacando-se agrupamentos como as SA (sessões de assalto), e as SS (sessões de segurança), além da Gestapo, a temida polícia política do nazismo.



Caracterizado pelo monopartidarismo, anti-comunismo, anti-liberalismo e um nacionalismo histérico, o nazismo alemão também apresentou um forte componente racista anti-semita, que defendia o "direito" das raças superiores dominarem as raças inferiores. Identificado com o movimento comunista internacional ou com o liberalismo responsável pela grande depressão de 1929, o judeu passou a ser considerado o grande mal que assolava a Alemanha.



Cruelmente perseguidos e excluídos de várias atividades públicas, à partir de 1935 com as leis de Nuremberg, os judeus passavam à condição de cidadãos de segunda categoria, perdendo direitos civis como o direito de casarem-se com "arianos puros". Em 1938 as ações anti-semitas cresciam vertiginosamente. Espancamentos, humilhação de crianças em salas-de-aula, destruição de sinagogas e casas, e até a utilização de sinais identificadores, já faziam parte do cotidiano da Alemanha de Hitler. Em escala mais reduzida o racismo germânico, também estendeu seus crimes sobre outros povos como eslavos e ciganos, além da perseguição sobre homossexuais e deficientes físicos.



A propaganda nazista controlada por Goebbels, supervisionava a literatura, o cinema e sobretudo o rádio e a imprensa, sendo que o pior aconteceria somente durante a Segunda Guerra Mundial (1939-45), quando tem início a "solução final", que executou cerca de 6 milhões de judeus espalhados pelos vários campos de extermínio nos países europeus dominados pelo III Reich.

A verdade nua e crua

Pra quem quer dar boas risadas, vale a pena, se você é mulher vai querer jogar o sapato na tela quando Mike (Butler)  começar a falar, mas não se stress ele é daqueles homens que dizem que sabem tudo de mulher, mas que no fundo é tão sensivel quanto elas. Pra mim a lição de moral do filme é bem simples, quanto mais você escolhe mais é escolhida, não adianta procurar o homem perfeito, realmente ele não existe, porque ninguém é perfeito, mas quando encontrar alguém que aceite os seus defeitos e que você se divirta com os dele existem grandes chances pra ter um relacionamento feliz!!!

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

ACASO


"Cada um que passa em nossa vida,
passa sozinho, pois cada pessoa é única
e nenhuma substitui outra.
Cada um que passa em nossa vida,
passa sozinho, mas não vai só
nem nos deixa sós.
Leva um pouco de nós mesmos,
deixa um pouco de si mesmo.
Há os que levam muito,
mas há os que não levam nada.
Essa é a maior responsabilidade de nossa vida,
e a prova de que duas almas
não se encontram ao acaso. "


Antoine de Saint-Exupéry