quarta-feira, 31 de março de 2010



Era um homem, um homem comum, que um comum destino parecia controlar inteiramente. Um animal doméstico bem treinado. Um dia sentiu um incômodo nos dois ombros, distensão muscular, má posição no trabalho... Foi piorando e resolveu olhar-se no espelho, de lado, inteiro e nu depois do banho: não havia dúvida, duas saliências oblíquas apareciam em sua pele abaixo dos ombros. Teve medo mas decidiu nãocomentar com ninguém, e como não transava freqüentemente com a mulher, conseguiu esconder tudo quase um mes. Fez como via fazer sua mulher: pegou de cima da pia um espelho redondo no qual ela ajeitava o cabelo, e passou a analisar todo dia aquele fenômeno que, em vez de o assustar, agora o intrigava. Curioso mas sem sofrer - pois não doía -, foi observando aquilo crescer. E pensava: Nem adianta ir ao médico, porque se for um tumor (ou dois) tão grande, não tem mais remédio, é melhor morrer inteiro do que cortado. Certa vez, quando se masturbava no banheiro, na hora do prazer sentiu que elas enfim se lançavam de suas costas, e viu-se enfeitado com elas, desdobradas como as asas de um cisne que apenas tivesse dormido e,  acordando, se espojasse sobre as águas. Ficou ali, nu diante do espelho, estarrecido. Agora ele não era apenas um homem comum com contas a pagar, emprego a cumprir, família a sustentar, filhos a levar para oparque, horários a cumprir: era um homem com um encantamento. Eram umas asas muito práticas aquelas, porque desde que usasse camisa um pouco larga acomodavam-se maravilhosamente debaixo das roupas. Em Certas noites, quando todos dormiam, ele saía para o terraço, tirava a roupa e varava os ares. Sua mulher notou alguma coisa diferente no corpo de seu marido. Estava ficando curvado, tantas horas na mesa de trabalho. Nada mais que isso. Embora a mãe lhe tivesse dito que "com homem é sempre melhor confiar desconfiando", daquele seu homem pacato ela jamais imaginaria nada muito singular. - Você vai acabar corcunda desse jeito, aprume-se - ela dizia no seu tom de desaprovação conjugal. As coisas se complicaram quando, já habituado à sua nova condição, o homem-anjo olhou em torno e, sendo ainda apenas um homem com asas, sentiu-se muito só. E começou a pensar nisso. E olhou em torno e se apaixonou. Na primeira noite com sua amante, esqueceu o problema, tirou a roupa toda, e quando ela começava a apalpar- lhe as costas o par de asas se abriu, arqueou-se unindo as pontas bem no alto por cima dele, na hora do supremo prazer.
Mas essa mulher/amante não se assustou, não se afastou. Apertou-se mais a ele, e dizia: vem comigo, vem comigo, vem comigo... E abriu suas asas também. (Histórias do tempo, 2000) Amor é tarefa complexa além de tudo porque para amar preciso primeiro me amar. Dentro e fora são reflexos mútuos, como dois espelhos em lados opostos. Vou procurar um amor bom para mim - no qual me reconheço e me reencontro, me refaço e me amplio, me exploro, me descubro - se minha imagem interior me levar a isso. O amor mais que tudo nos revela: manifesta nossas tendências, o que preferimos e escolhemos para nós.
Quero, mereço ser e fazer feliz ou preciso me punir e castigar ao outro; mereço e posso crescer ou me aniquilar.., e ao outro comigo? "Escolha" amorosa pode parecer contradição.
(Liah Luft, Perdas e Ganhos)
Eu queria ver a vida igual a Poliana, fazendo sempre o jogo do contente, nas tempestades e tormentas, pensar no calmo e belo mar, nas ondas que quebram na areia da praia.

Ser humano é ser assim, cheio de medos e inquietações, ninguém disse que ia ser fácil, bom ninguém disse também que ia ser dificil.

Hoje vou ter uma prova na faculdade, e um dos assuntos é a fé, a religião é sim um conforto, ela nos ajuda a suportar as frustrações da vida, nos momentos dificeis ter uma religião ajuda muito, mas porque ajuda? porque acreditar nos faz bem? será só uma maneira de compensar as coisas... eu acho que a resposta vai mais além. Se é nos momentos dificeis que lembramos de clamar a um Deus, é porque nos momentos dificeis ele se faz presente, e nos chama ao seu acolhedor abraço.
Tem dias que fico meio descrente, também agente lê tanta coisa na faculdade, se enfatiza a necessidade de um pensamento cientifico, mas vira e mexe acontece algo que me faz acreditar na existencia de algo inexplicavel, porém existente, que move nossas vidas. As vezes, estou procurando por respostas e um livro, uma frase, uma música vem a me chamar a atenção, vem a me solucionar alguma inquietação. Acaso? eu não acredito...

Dessa vez foi um livro que conheci tem muitos anos, Violetas na Janela, é um livro espírita, a historia da desencarnada Patricia, é meu nome também, minha tia havia me emprestado mas na época fiquei com ele por um tempo e devolvi, sem terminar de ler, deve fazer uns 10 anos isso, acho que tudo tem seu tempo certo, na época não devia estar preparada para a leitura. Esse ano descobri que existe um audiobook desse livro, e o baixei através de um site da internet, o livro conta com 27 capitulos, mas por algum problema na hora do dowload vieram só os 9 primeiros capitulos, só me dei conta quando comecei a ouvi-lo dentro do onibus, estava viajando de férias, bem quando estava ficando interessante a história ficou interrompida, pensei comigo que logo que pudesse procuraria pelo arquivo completo, com os 27 capitulos. Voltei de viagem e já se passou 2 meses, e só agora, uma vontade muito grande despertou para terminar de conhecer a historia da jovem Patricia. Num momento particularmente especial. 
Sempre indago a mim mesma sobre qual o real sentido da nossa existência, encontrei com uns amigos outro dia, e falavamos sobre as coisas da vida e infelizmente um dos temas era a traição conjulgal, desse tema acabamos abordando outros. Quando agente se depara com a maldade existente no mundo, uma questão existencial vem atona, emerge... Qual é o sentido de tudo isso? Porque existe tanta maldade? Tantos sentimentos pequenos? 
Na minha busca por respostas, acabo de uma certa maneira sempre chegando a seguinte resposta: O sentindo de tudo, é o amor! Se pudessemos amar incondicionalmente, como ensinam os desencarnados nos livros espiritas, as coisas seriam diferentes. 
Depois que ouvi o livro todo, me senti muito bem, é bom aprender algo, no livro Patricia ensina, ou tenta explicar como foi seu desencarne, e como é a vida lá do outro lado. Tras um certo conforto pensar que existe um outro lado.

terça-feira, 23 de março de 2010

Um sonho possível

Não é atoa que Sandra Bullock ganhou um Oscar com o filme, Um sonho possível, o filme é encantador, um história comovente sobre a vida de um jovem negro que havia encontrado muito poucas oportunidades na vida, até encontrar a familia Touhy. Talvez não só o jovem tenha ganhado, a familia também ganhou. Quando fazemos algo por outra pessoa, algo realmente genuíno ganhamos muito. A atriz interpretou Leigh Anne Touhy, uma pessoa de enorme coração, coração esse que ficou mexido ao ver o jovem Michael caminhando sozinho no frio e sem agasalho, ele estava indo ao ginásio da escola, onde, segundo ele, era um lugar quentinho. Pra mim o filme trás várias mensagens genuinas de bondade. Bondade é poder ensinar e aprender com o outro, é olhar as pessoas como iguais. Hoje em dia vivemos num mundo totalmente egoísta e também violento, que não nos permite tanta generosidade. Claro, o filme mostrou essa violencia e o medo que causa um desconhecido, mas mostrou como olhar o lado bom das coisas, e principalmente das pessoas.
Me encantei pelo pequeno SJ, que com muita alegria e inteligência mostrou a real inocência infantil, com um grande grau de esperteza, ...se você olhar com um sorriso para as pessoas elas não vão ter medo de você!
Para Michael, foi como se um anjo o tivesse acolhido e transformado sua vida, uma vida que há muito já estava de certa maneira fadada a ruina. Pena nem todos terem uma oportunidade como essa, quantos morrem nas ruas, vítimas das desigualdades sociais, vitimas da violência e do descaso. 
Um outro ponto muito relevante da história, é, além do preconceito, que um individuo mesmo tendo dificuldades de aprendizagem, bem estimulado pode vencer, ele pode aprender e potencializar suas capacidades,  o ambiente realmente tem um fator muito importante. Se o sistema de ensino pudesse olhar para as crianças com dificuldades de aprendizado de maneira especial, elas não teriam dificuldades de aprendizado.
Claro, estender a mão à um estranho, que não se conhece a história, ajudá-lo nos estudos, ajudá-lo a conquistar um bolsa de estudos, chama a atenção do estado. O que essa família queria em troca? Porque sempre tem que se ganhar algo além do que o coração pode sentir? Os pais direcionam a vida dos filhos, porque querem o melhor para eles, Micheal era parte da família Touhy e eles só poderiam querer o melhor para ele. 
 Interessante ressaltar, que o filme é baseado em uma história real, ou seja, a bondade não é ficção.

sábado, 20 de março de 2010

Imprevisível

Se eu pudesse voltar no tempo
Faria tudo igual
Porque não poderia ter sido diferente
Porque a vida é essa coisa imprevisível
Agente sente, age, constrói e destrói
Não tem como prever o futuro
Agente vive o presente
Porque esse é previsível
Hoje eu sei o que sinto
Mas o futuro é coisa distante que não conhecemos
Se hoje eu gosto de rosas,
Posso no futuro não gostar mais delas
Posso gostar de violetas
E sem poder entender um dia voltar a gostar das rosas
No hoje agente sabe o que quer
No hoje agente planta as sementes
Esperando o imprevisível futuro
A semente pode ou não germinar
Pode morrer por falta de cuidado,
Pode crescer sem cuidado nenhum
Às vezes agente até quer que a semente não vingue
Se atrofie, morra.
Mas tudo é incerto,
Tem coisas que não dependem da nossa vontade
Não dá pra dizer nunca
O nunca não existe
Nunca amar, nunca querer, nunca achar.
Existe a incerteza ou a certa certeza
De que não somos nós os donos das verdades
E das certezas
Somos como as folhas que caem das árvores
Que são carregadas pelo vento
Somos a semente que brota sozinha
Somos tudo e nada
Mas não somos nunca
Somo sempre, sempre incertos, imprevisíveis.
Quem sabe aonde vai consegue trilhar caminhos certos
Mas quem garante
Que no meio do caminho um imprevisto o desvie da rota
Quem pode garantir
Que sempre vamos querer chegar àquele lugar ou a outro
Se no meio do caminho encontrarmos espinhos
Talvez mudemos a rota
Para encontrar flores,
Outras vezes podemos encontrar flores
E querer voltar aos espinhos
Tudo isso é imprevisível
Não são os nossos pés apenas que nos levam
Mas nossa vontade interior
Vontade essa imprevisível
Queria eu poder saber sempre a direção dos ventos
Mas sei que só posso saber do hoje
Só posso viver e sentir o hoje
O hoje construído num ontem
Que foi realizado do inesperado, do imprevisível viver.

Essa aqui já tem quase um ano que escrevi, foi em 25 de março do ano passado:

Vivendo agente vai aprendendo,
vai definindo o que realmente é
daquilo que não é ou nunca foi.
De repente as coisas vão tendo sentido,
mesmo quando parecem não ter.
Fica mais claro discernir amor de paixão

Agente vai descobrindo
que amor é algo duradouro,
altruísta e verdadeiro;

Paixão...
Ah paixão é fogo como diz o poeta,
É um lampejo, é limitada, é egoísta
Na paixão tudo é urgente.
O amor é calmo, permanente,
mesmo que passe meses ou anos,
Ele sempre estará lá intacto,
A paixão se apaga, se extingue, se vai.

Certa vez um homem muito sensível
e altamente espiritualizado disse,
E não me esqueço:
Se você amar muito você vai saber esperar,
E quando tiver o que desejou em suas mãos
finalmente vai entender o sentido do amor.
Mas se esse tempo passar
e aquilo que foi desejado chegar as suas mãos
e você já não se interessar mais, você não amou,
Foi apaixonado.

Muitos dizem que é difícil definir o amor,
Eu diria que é fácil,
Bem mais simples do que se imagina,
Amor é muito mais que a distância,
Muito mais que o querer,
Muito mais que o ter,
Muito além do entendimento é o amor
O amor simplesmente é
Simplesmente acontece,
Simplesmente existe
Simplesmente não se perde
Ele existe, e não acaba.

Se você amar uma vez,
Nada vai poder tirar de você esse sentimento
Mesmo que as estações passem,
Mesmo que as tempestades passem,
O amor é pluma leve que carregará sempre no coração.


A verdade carrega um significado individual,
cada um tem dentro de si, a sua verdade;
porque cada um tem um olhar particular...
Cada um vê aquilo que quer ver, ou que pode ver... 
A cor branca para alguns povos tem vários tons, para mim o branco é branco...
Ao olhar uma cachoeira, cada um vai vê-la de uma maneira,
para cada um a visão da cachoeira vai ter uma perspectiva diferente.
Eu quando olho para uma cachoeira vejo a queda d’água e ignoro as pedras,
muitas vezes em nossa vida ignoramos as pedras
e outras vezes ignoramos a queda d`água...
Isso vai depender de fatores muito particulares;
Teve uma vez na minha vida que uma linda d água esteve em meu caminho,
e como era linda a sensação ao ver a água límpida que caia do alto, 
o som da água chegando ao rio,
mas como muitas vezes já havia acontecido,
fui levada a ver outra verdade,
me mostram as pedras que estavam por trás das águas,
quanta ingenuidade a minha,
a queda d`água deixou de ser a minha verdade,
passei a ver com os olhos de outros que me mostram as pedras...
E a queda d água não teve mais a mesma beleza que outrora tivera.
Não importa o que te digam, não importa o que te mostrem,
Importa aquilo que você carrega em seu coração, a sua verdade...
O seu modo de olhar. Como queria ter ignorado aquelas pedras...
Não ouça as verdades que lhe mostram,
Olhe sempre a verdade de seu coração...
Mas de tudo que acontece em nossa vida, aprendemos...
Tornamos-nos fortes e perseverantes,
é isso que importa, reconhecer a própria verdade interior.
Hoje vejo o rio, que por entre as pedras flui e segue seu caminho...
E lá na frente sei que o rio vai encontrar uma nova queda d água,
e meus olhos já sabem o que enxergar...
A minha própria verdade.
 
Paty

Viver

Viver, viver não é tarefa simples,
Exige atenção... boa memória...
Exige total entrega,
Entrega para viver os bons e os maus momentos
Uma condição ao viver é acreditar em dias melhores
Nada na vida é em vão
Cada passo, casa escolha...
Cada dia é um dia, Cada coisa de uma vez...
Cada hora, cada minuto
Todos os segundos...
Viver, viver é esperar, é correr, é parar
É escolher, é não escolher...
É abandonar as coisas velhas
É aceitar as coisas novas...
É aproveitar!
Viver é seguir as rotas, pegar atalhos algumas vezes
É saber onde vai, onde quer chegar
Viver... Viver é amar, amar-se, dedicar-se
Subir, descer, gritar, pular...
Brincar de ser criança... brincar de ser feliz
É parar e começar tudo outra vez...
É terminar e recomeçar... Recomeçar e inovar...
É respirar o ar da manhã... da tarde... da noite
Fechar os olhos, abrir os olhos...
É ver... É querer... É ter...
Viver é ser palhaço, ser gigante, ser bom...
Viver também é ser mau algumas vezes...
Viver é aprender ser melhor...
Cativar, ser cativado...
Iludir-se, iludir...
Ser tudo, ser quase tudo...
Viver é tudo e mais um pouco...
É saber aproveitar... sem desperdiçar
É tarefa, dá trabalho...
Mas tem recompensas!!!
Viver por viver é não viver...
Viva, faça diferença Seja diferente... cresça...
Viva a tua vida e não a do outro
Porque a tua é tua... e de mais ninguém.

Paty

Quando me perguntam sobre o que mais gosto em mim, de primeira, digo, os olhos, são meus olhos que me mostram o mundo, minha janela da alma. Se me perguntassem o que me faria mais falta na vida, eu diria meus olhos.
Ver é ter tudo, ver é conhecer, aprender, examinar, contemplar, é ver-se, descobrir-se, é saber, é provar, é admirar.
Tem vezes que olhamos errado, enxergamos meio embaçado, a vida multicor às vezes parece toda cinza, nessa hora atenção para o foco, hora de regular.
Já olharam pro mar, pro amanhecer, pra lua cheia, pra criança sorrindo, para o pássaro cantando? Que bom é poder ver.
Olhar significa estudar, examinar, observar, agente às vezes perde os detalhes, mas não deixa de ver o fundamental...
Mas como diz a história do pequeno príncipe, o essencial é invisível aos olhos. Não é possível ver, por exemplo, o amor, mas é possível senti-lo através dos olhos de quem ama; não é possível ver o vento, mas sabemos que ele existe quando bate nas folhas das árvores, quando faz ondas no mar, é difícil ver a amizade quando não se tem um amigo, assim como o amor, a amizade agente vê nos olhos do outro, naquele momento que os olhos parecem dizer, estou aqui, estou do seu lado. Os olhos não falam, expressam... os lábios dizem...
Sábio Sócrates: “o sorriso é a manifestação dos lábios, quando os olhos encontram o que o coração procura”
Ver é ter um mundo todo!!!
em 13 de setembro eu escrevia:

Cada ser humano tem um mundo interior que só o próprio indivíduo tem acesso, às vezes nem ele mesmo se sente capaz para acessar a si mesmo, porque existem muitos conteúdos inconscientes que parecem ser inacessíveis, às vezes me pego tentando dar sentido aos meus atos falhos e percebo como é difícil identificar os motivos de certos atos, certos esquecimentos e até mesmo de certos insights que tenho, enquanto outras vezes isso parece bem natural. Cada vez mais fico apaixonada pelos estudos de Freud, cada vez mais vejo a importância de conhecer-me para poder utilizar de tudo que aprendo. Ter consciência de que cada indivíduo possui particularidades não é tão difícil, mas é muito complicado aprender lidar com essas particularidades individuais, principalmente em um mundo como o contemporâneo, principalmente se levarmos em conta a cultura capitalista a qual estamos inseridos. Mas levando em conta que somos seres sociais é muito importante aprender lidar com as diferenças, sempre me pego a pensar nos meninos lobos e como seria ser criada em meio aos animais sem o contato com esse mundo “civilizado” que conheço, com certeza seria algo extremamente diferente, e qual sentido teria minha vida em meio um mundo não “civilizado”?
As teorias evolucionistas nos levam a ideia de que o sentido da vida é a evolução, é perpetuar a nossa espécie, dar continuidade aos nossos genes por meio da hereditariedade, mas hoje em dia é comum nos depararmos com pessoas que escolheram não ter filhos, pessoas que dão maior destaque para outros conteúdos, por exemplo, o conteúdo intelectual, mas esse conteúdo intelectual, ao meu ver, também pode ser encarado como uma maneira de perpetuar-se, foram grandes os filósofos, pensadores, cientistas que deixaram seus “genes” ou conhecimento como preferirem, em diversos veículos escritos; claro isso é uma comparação muito simplista, mas razoável. Suas idéias vivem até hoje, ou foram modificadas, aperfeiçoadas.

Talvez hoje eu esteja tentando refletir com tudo isso sobre os mecanismos que nos tornam indivíduos cheios de desejos ou vontades; toda essa conversa meio que cientifica me veio a cabeça depois de assistir o filme Up Altas Aventuras, um filme espetacular, bem pra mim ele foi espetacular, com certeza algum outro, com suas particularidades individuais faça uma critica diferente, mas eu com as minhas particularidades achei o filme espetacular, uma historia até simples, como tantas historias, mas cheia de magia e encanto, que a muito tempo eu não via, as crianças de hoje já não são como as de antigamente, por isso muito do que é produzido pra elas perdeu a essência que nunca deveria ter sido perdida, e em Up Altas Aventuras eu pude sentir essa essências resgatada, mas claro com um toque de contemporaneidade. E que toque, afinal as animações em 3D trazem um novo toque aos desenhos animados, nesse em especial as imagens parecem mais vivas, talvez por que se possa emocionar com elas.
Eu me emocionei logo de cara, com a de maneira simples como foi apresentada a vida de Carl Fredricksen, para que se pudesse entender o sentido de sua vida, mesmo sem muitos diálogos tudo era explicado em imagens. Viveu grandes momentos felizes ao lado daquela que foi a pessoa mais importante para ele, o destino não permitiu que tivessem filhos, mas viveram sempre com a mais pura ternura e amor, e o pequeno Russel tão cheio de boa vontade e otimismo, amante da natureza trouxe algo que há muito tempo eu não via em filmes infantis, a inocência das crianças. É um filme para todas as idades, que tem a capacidade de enriquecer o mundo interior de qualquer um.

Oi pessoal, resolvi eliminar meu antigo blog que ficava no myspace do windows life e ficar apenas com esse, daí seraparei algumas coisas antigas que havia escrito e vou postar novamente aqui aos poucos, assim não perco as ideias antigas... é interessante voltar pra trás e olhar o que eu estava pensando... às vezes penso dinovo de forma igual, outras já penso diferente... De vez enquanto é bom fazer um balanço do que foi, do que é e do que espera!

em 02 de outubro do ano passado eu escrevia sobre o tal do Egoísmo ai vai:


Cada sujeito vê o mundo de uma maneira, cada um enfrenta um problema de uma forma particular, cada um reage aos estímulos de maneira distinta, nenhum ser humano é igual, e é impossível ser perfeitamente adequado a tudo.
Podemos prever, mas tudo é muito imprevisível.
Podemos ver nisso tudo, inúmeros obstáculos, para uma vida harmoniosa, a começar pelo fato de que é difícil sentir a dor do outro, é comum ouvir por aqui ou por ali coisas do tipo “ele é feliz e não sabe”, “seus problemas são pequenos perto dos meus”, “o problema não é meu”, o mundo é egoísta, os sentimentos são egoístas, sejam eles bons ou maus. Posso transmitir o que sinto, mas não há garantias que alguém possa captar perfeitamente o que transmito, porque cada um vive dentro de si, num mundo particular.

Pra mim, viver em harmonia seria possível se nos colocássemos a refletir sobre o conceito da EMPATIA, que significa:  sentir o que sentiria outra pessoa caso se estivesse na situação experimentada por ela. Como seres humanos erramos e acertamos, alguns erram mais outros menos, mas temos uma grande tendência de colocar a culpa dos nossos erros nas atitudes tomadas por outros, no lugar de assumirmos nossa falha, assim como temos a tendência de apontar os erros dos outros sempre antes de apontarmos os nossos próprios erros, semeando muitas vezes sentimentos de inveja e discórdia, é mais tolerável que o ruim esteja dentro do outro e não dentro de mim. Quando assumimos nossa condição de imperfeição é possível nos abrirmos ao aprendizado real, buscando por mais comportamentos assertivos.
Ao invés de procurar no outro qualidades e defeitos, deveríamos aprender procurar dentro de nós mesmos nossas verdadeiras qualidades e potenciais defeitos,  afim de conhecer nosso intimo para assim poder não medir mas compreender; não competir mas ser solidário.

Somados somos mais fortes.
Divididos ficamos separados.


Agora pensei imensamente na sabedoria de Edward Bach, que criou as essências florais, que são capazes de resgatar as virtudes de nossa alma, potencializando o que existe de bom em nós mesmos, fazendo que agente aprenda de certa maneira com nossos erros, penso também no livro felicidade autêntica, que traz uma mensagem sobre como trabalhar nossa vida com base nos nossos potenciais positivos. Quem planta amargura só pode colher dor. Está na hora de cuidar do próprio jardim, de maneira que esse possa colorir e perfumar não só sua própria vida, mas daqueles que passam por ela!!!

Uma Mensagem de Emmanuel

Oi pessoal, recebi mais um presente por e-mail, estamos todos tão envolvidos com as professias sobre 2012, ninguém melhor do que um espírito de luz para nos dizer o que pensar sobre esse assunto, eis o que Emmanuel nos fala: 

 

EM 2010 ESPEREM PELO INESPERADO
Uma Mensagem de Emmanuel
15 de janeiro de 2010

Pergunta: Recebi muitos e-mails de leitores perguntando por que você ainda não se reportou à questão de 2012.
Amados Irmãos e Irmãs da Terra, nós dos Reinos Superiores estamos em grande alegria por testemunhar o nascimento da nova Gaia.

Esta é a primeira vez que um planeta inteiro tenta se duplicar num plano superior de existência no seu sistema solar.

A duplicação é a primeira etapa do processo de ascensão de Gaia, e, apesar de não estar completo ainda, nós acreditamos que logo se completará.

A segunda etapa é a separação em dois planetas; esta etapa poderia ser comparada à reprodução celular. No caso de células, o processo é Mitose, e a célula original se divide em duas novas células completas que são idênticas à célula original.

No caso de Gaia, o processo é mais parecido com a Meiose, em que as células criadas por esse processo não são idênticas à célula original. Em sua densidade isto é aplicado especialmente aos corpos femininos.

O processo de duplicação de um planeta inteiro leva cerca de nove dos seus anos para se realizar, enquanto que a separação ocorrerá numa fração de segundo.

No final do ciclo Galáctico, Gaia terá um período de tempo muito curto, durante o qual a separação deverá ocorrer. Assim que este processo se completar, a nova Gaia existirá na quinta densidade, enquanto que a antiga Gaia permanecerá na terceira densidade.

Por isso há tanta confusão sobre o que irá acontecer no ano de 2012.

Alguns indivíduos dizem catástrofe, outros dizem ascensão, e outros dizem que nada irá acontecer.

E todos estão certos.

O ano de 2012 não pode ser entendido se for observado somente do ponto de vista da terceira densidade, porque, de fato, está acontecendo um alinhamento multidimensional/galáctico em todos os níveis de consciência, a partir de onde a propagação da torrente de elétrons, prótons, etc. ocorrerá, devido à sua mútua repulsão eletrostática.

A quantia total de propagação de fluxo é um volume infinito em qualquer ponto do campo vetor, e sua manifestação/resultado são determinados pelo fluxo livre de consciência em uma dada região do campo vetor.

Isto significa que haverá muitos resultados diferentes a partir de um mesmo evento. Tudo depende da taxa vibratória da sua consciência, significando que todo indivíduo irá experienciar um resultado diferente.

Alguns experimentarão catástrofe, alguns experimentarão ascensão, e outros não experimentarão nada.

Dois indivíduos experimentarão o mesmo resultado somente quando suas consciências vibrarem numa mesma taxa, porque quando dois indivíduos focalizam sua consciência na mesma parte do espectro energético da consciência, eles se tornam contemporâneos, eles não mais estão separados pela ilusão de espaço e tempo.

Para entender este conceito, primeiro vocês devem entender que vocês são seres multidimensionais vivendo simultaneamente em milhares de planos de existência paralelos sobrepostos.

Muitos de vocês são capazes de sentir isto, mas muitos pensam que têm um "eu-principal" (aquele que está lendo neste instante) e todos os "outros-eu" são menos reais. Quando, de fato, sua consciência é igualmente distribuída por todos os seus eus, tornando todos eles o seu "eu-principal".

Com uma simples decisão, vocês redirecionam sua consciência para um de seus "mil-eus". Quando isto ocorre, vocês não sentem nada, mas vocês - literalmente - se mudam para outro mundo. Tudo irá parecer como dez minutos atrás, vocês estarão morando na mesma casa, casados com a mesma pessoa, trabalhando no mesmo lugar, etc., mas do ponto de vista vibracional, todas essas coisas são totalmente novas, já que vocês agora estão vivendo num mundo novo.

O modelo de universos paralelos sobrepostos foi projetado pelo Criador com o propósito de enriquecer a experiência da sua alma, agora, depende do seu livre-arbítrio decidir qual deles você irá acompanhar na mudança de 2012 com total consciência.

Por exemplo, você e seu vizinho não terão a mesma experiência.
Cada um de vocês irá continuar vivendo em Terras diferentes.

Todos aqueles que não têm a mesma taxa vibratória que você, simplesmente desaparecerão da sua realidade.

É por isso que a maioria das "previsões" feitas ultimamente não acontece, porque uma previsão é feita num ponto específico do campo vetor, onde a atenção daquele que faz a previsão está integrada com sua consciência, mas um segundo depois ele e, o mais importante, você mudaram sua consciência para um "outro-eu", e agora você está vivendo em outra vida paralela, onde o resultado da previsão não irá ocorrer.

Sua consciência é o que determina em qual vida você vive neste instante, e suas crenças é o que fixa a consciência em determinada parte da vida.

Se você acredita que o ano 2012 marca o fim da humanidade, então você experimentará algum tipo de fim. Por outro lado, se você acredita que em 2012 começará a colheita da ascensão, então você experimentará algum tipo de começo.

Lembrem-se, seu padrão de pensamento cria sensações, suas sensações criam emoções, e suas emoções criam a sua realidade.


Pergunta: Você mencionou muitas vezes que nós devemos deixar o medo para trás, um leitor da Austrália perguntou: Como se substitui o Medo pelo Amor?
O Amor é um presente do alto e existe além da dualidade.
Não há como substituir um pelo outro; isto precisa ser profundamente entendido.

Medo e Amor não são coisas diferentes; eles são qualidades diferentes da mesma energia.

O Medo é o aspecto negativo do Amor. Se as vibrações mais altas da energia primitiva não fluírem através do seu campo energético, essa energia se torna Medo. Se à parte mais alta do espectro de frequências for permitido fluir, o Medo desaparece e o Amor permanece.

A ideia de Medo e Amor serem duas coisas diferentes foi enraizada na mente coletiva através de eras com o único propósito de escravizar a humanidade, porque um indivíduo não pode ser reduzido à escravidão se ele entender que o Medo e o Amor são a mesma energia e tudo depende de qual parte do espectro ele focaliza.

Quando dois indivíduos se focalizam na mesma parte do espectro energético, eles não mais estão separados, eles são um. As vibrações do amor ajudam vocês a se mesclarem com os outros.


Pergunta: Você mencionou que nosso DNA está sendo ativado através de feixes de energia de alta vibração dispensados na Terra, um leitor da França gostaria de saber quantos dos doze filamentos de DNA podem ser ativados no presente estado da consciência humana.
Os seres humanos de terceira dimensão são potencialmente capazes de ativar inúmeros filamentos de DNA, entretanto, no presente momento da evolução humana há 144 filamentos principais que precisariam ser ativados para despertar seu total potencial humano.

O Grande Diretor Divino e o Conselho dos Senhores do Karma fixaram o número de filamentos neste ponto específico da linha evolucionária em 144. Além desses 144 filamentos, há um pacote de upgrade de 144 mil filamentos de DNA "galácticos" disponíveis neste momento.


Pergunta: Um leitor da Rússia perguntou: Quanto mais eu avanço no caminho espiritual, mais inseguro me sinto. O que estou fazendo errado?
Você não está fazendo nada errado, simplesmente você pode sentir que essa real segurança não existe.

Segurança nada significa além da condescendência com as circunstâncias de sua realidade. É meramente um ideal implantado em sua mente para fazê-lo temer o desconhecido, pois, se você permanecer no conhecido, não haverá crescimento. Quando você penetra no desconhecido e acolhe a incerteza, você realiza um avanço espetacular na abertura de portas para o seu real Eu e seu papel no Plano Divino.

Amados Irmãos e Irmãs da Terra, vocês estão vivendo em tempos incríveis!

As energias dispensadas na Terra estão aumentando significantemente a cada novo dia, o DNA dos recém-nascidos contém informação genética jamais vista na Terra, e seus cientistas podem confirmar a presença de um novo filamento ativo de DNA em muitos recém-nascidos.

(*) Nota do Tradutor: leia sobre isso no link abaixo:
http://www.dihitt.com.br/noticia/descobertos-genes-de-ets-em-dna-humano
Seus céus estão cheios de "luzes" vistas por milhares de pessoas em bases diárias.

A consciência coletiva está criando novas conexões entre indivíduos que pertencem ao mesmo "grupo de alma", independente da distância física entre eles. Habilidades telepáticas agora estão disponíveis para praticamente todos. Seu corpo energético começou a se lembrar do seu potencial e está ativando suas capacidades de autocura.

Mais e mais indivíduos entendem que eles têm um contrato de vida para cumprir, e estão mudando suas atitudes em relação à vida, mudando todo o mundo no qual eles vivem. Muitos, muitos saíram de seu condicionamento, e podem ver a liberdade total apenas a alguns passos à frente. A maioria da sua coletividade está se desligando de todas as ideias fixas do passado, e um novo paradigma está nascendo.

A ideia de separação entre os indivíduos de sua coletividade está sumindo mais rápido do que vocês podem imaginar, suas almas começaram a se lembrar que a separação só existe na superfície, e lá no fundo, vocês (nós) são todos Um.

O ciclo da limitação está se aproximando do fim.
Realmente são tempos incríveis para a Raça Humana!

Mas novas oportunidades trazem novas responsabilidades.
Olhem em volta, o que vocês têm feito agora parece ser insuficiente.

É hora de produzir alguma coisa nova, um novo começo na jornada, um novo princípio. Vocês se prepararam através de muitas vidas para este momento, não o percam.

É hora para a co-criação deliberada do seu futuro. O segredo da co-criação de toda uma nova realidade é simplesmente dividir grandes metas em séries de pequenas metas. A cada pequena realização, a meta final estará mais próxima. Seja uma pessoa de ação, somente indivíduos com ações orientadas fazem as coisas acontecerem.

Não esperem até amanhã.
Hoje é um bom dia para começar.

Comecem por confiar em vocês mesmos, em seu potencial, em sua conexão com o Tudo Que É, e no seu absolutamente insubstituível papel no Plano Divino.

Quando vocês confiarem sinceramente em si mesmos, sua consciência os levará a viver uma vida que é honrada e significativa!
EU SOU Emmanuel
©2009 Langa http://www.emmanuelmessages.com/?page_id=236
É permitido copiar e compartilhar esta informação somente 
em sua totalidade, incluindo este aviso de copyright 
e sem alterar o conteúdo da informação.

Tradução: SINTESE
http://blogsintese.blogspot.com/

segunda-feira, 15 de março de 2010

Precious

Eu muitas vezes me surpreendo com as coisas que acontecem, e que não são por acaso...
Depois de refletir sobre o filme Um lugar do Paraíso fiquei pensando nessa questão de continuidade da alma, e lembrei que na minha estante tem um livro que há muito tempo atrás foi um grande companheiro, primeiro Muitas vidas Muitos mestres que acabei emprestando e não sei mais onde está e então esse que continua na minha estante, Muitas vidas Uma só alma, de Brian Weiss, agora me dou conta de como sempre o tema da alma me acompanha, mas vamos lá... olha a riqueza de um dos paragrafos do primeiro capítulo que fala sobre A imortalidade:

Sigmund Freud escreveu que a mente funciona em níveis diferentes. um desses níveis é o que ele chamou de mente inconsciente, que, por definição, não percebemos, mas que armazena toda nossa experiência e nos leva a agir como agimos, pensar como pensamos, reagir como reagimos e sentir como sentimos. Freud descobriu que só acessando o inconsciente podemos aprender quem somos e, assim, nos curarmos. Algumas pessoas já afirmaram que a alma é o incosciente de Freud. E em meu trabalho, fazendo com as pessoas regressão a vidas passadas e, ultimamente, progressão para vidas futuras, tendo como objetivo a sua cura, também constato a mesma coisa: o funcionamento da alma imortal. (Muitas vidas Uma só alma, Brian Weiss, cap1 p.13)

Um olhar do paraíso

Ontem assisti, finalmente, o filme Um olhar do paraíso, já postei sobre ele antes de estreiar por aqui, não foi muito do que eu esperava, já que pela sinopse imaginei algo mais angustiante, bom não era pra ser suspense ou terror, mas sim um drama, e como drama posso dizer o filme não é ruim. Morrer tragicamente, por meio de um assassinato, tão jovem e cheia de vida foi algo extremamente doloroso para Susi e sua familia, contar o que pode sentir alguém que partiu não é nada inovador, me lembrou o filme o amor além da vida, mas com cenas mais infantis. O drama vivido pela familia que nunca encontrou o corpo da filha, o pai que quase enlouqueceu por não encontrar respostas, a mãe que abandonou a familia para tentar abandonar a dor de perder sua filha... Dá pra fazer várias reflexões, outro dia postei um pensamento meu sobre o fim, e quando vi o filme me coloquei novamente a pensar nessa questão...
As crianças acabam sendo vitimas muito fáceis para as mentes doentes de adultos perversos, são seduziveis... presas fáceis... quem pode imaginar que ao lado mora o perigo? A frieza e a maneira como uma mente doente se preocupa com os detalhes é incrivel!
Susi não aceitou morrer daquela forma e também evitava pela verdade, o que impedia que elevasse sua alma a um plano superior, assim como os pais dela sofriam em continuar vivendo sua morte. O momento em que as verdades aparecem a vida parece começar a seguir...
Acho que se colocarmos essa reflexão para nossas vidas vai fazer muito sentindo aquela ideia de que perdoar alivia a dor da alma, a pesar que o filme não fala do perdão, mas do encontro com a verdade.
Talvez nessa perspectiva o fim seja uma maneira para recomeçar...

sábado, 13 de março de 2010

O fim

Você algum dia já pensou no fim???
será que o fim é só um novo começo?
Será que é apenas o ponto final?
Será que o fim é aquele momento que tudo se perdeu?
ou quando encontramos tudo?
Será que o fim é o luto?
a lágrima do adeus?
ou será o fim o abraço apertado do encontro?
Será que todos os finais tem que ser felizes?
Será que existem os finais?
Afinal, nada parece ser finito...
Nesse infinito universo...

paty

tempo

Já foi janeiro, passou fevereiro e o ano voa...
Os dias amanhecem, as tardes caem,
a noite brilha!
Que é o tempo? que é o momento?
Que é a vida?
Para que existe a luz do dia,
senão para sentimos sua falta
durante a noite fria?
Já passou a criancice,
já passou a juventude,
tá chegando a maturidade
a velhice tá lá,
esperando quietinha...
o relógio só para quando acaba a pilha!
o tempo não para, é só ter energia!
O sol brilha todos os dias,
mesmo que chova,
você não vê nos dias nublados,
mas o Sol por trás das nuvens
continua a brilhar...
o céu nunca fica sem estrelas,
é que elas só ficam evidentes
quando podem brilhar!
Não perca tempo, não espere o tempo...
Quem faz o tempo é você
Não se perca nas horas,
não se perca nos dias,
não se perca na vida...
aproveite!!!
todo instante é único,
cada pessoa é única!
Você é sem dúvida exepcional!!!

Paty

A falta de um tijolo (Paulo Coelho - coletanea de contos)

Durante uma viagem, recebi um fax de minha secretária. “Ficou faltando um tijolo de vidro para a reforma da cozinha”, dizia ela. “Envio o projeto original, e o jeito que o pedreiro dará para compensar a falta.” De um lado, havia o desenho que minha mulher fizera: fileiras harmoniosas, com abertura para a ventilação. Do outro lado, o projeto que resolvia a falta do tijolo: um verdadeiro quebra-cabeças, onde os quadrados de vidro se misturavam sem qualquer estética.
“Comprem o tijolo que falta”, escreveu minha mulher. Assim foi feito, e o desenho original foi mantido.
Naquela tarde, fiquei pensando muito tempo no ocorrido; quantas vezes, pela falta de um simples tijolo, deturpamos completamente o projeto original de nossas vidas.

medo


As vezes dá um medo...
Na estrada vazia, no breu da noite...
Na imensidão do nada...
Dá um medo!
Medo de ir pra frente, de voltar pra trás
De olhar para os lados!!!
Que medo!
Medo de dizer a palavra errada,
De escolher pelo que não se deve ser escolhido
Por ser escolhido, por ser esquecido...
Cadê a coragem? Talvez se escondeu num arbusto do caminho
Se perdeu em algum lugar lá atrás ou
Foi mais rápido e está lá na frente...
Quando agente é criança tem sempre alguém
Pra dizer que o medo passa,
Pra segurar a mão, dar um abraço,
Um leite quente...
Daí agente cresce, e percebe que aqueles medos
Eram tão bobos...
Tem medos maiores,
Tem dilemas maiores,
E já falta aquela mão, aquele abraço
O leitinho quente...
Agora é você e você mesmo,
Você frente aos seus medos, aos desafios da vida
É você tentando acender a luz onde está escuro
Você caminhando pelo desconhecido!
É verdade ter medo é estar assustado e sozinho...
Mas é verdade que não estamos sozinhos
Mesmo quando estamos apenas com nós mesmos!
Paty

terça-feira, 9 de março de 2010

A fábula do rato e da ratoeira

... Outro dia meu Prof contou essa historinha na sala e achei uma grande lição de vida e estou compartilhando:

(sabedoria budista)



Olhando por um buraco da parede o ratinho viu que os donos da casa tinham comprado uma caixa grande. Ficou muito curioso e pensou:
-  O que será que tem ali de bom para eu comer? Quando olhou mais atentamente, notou que o embrulho continha uma ratoeira.
O ratinho ficou preocupado, afinal uma ratoeira é para pegar ratos e eu sou um rato... Ato contínuo saiu correndo e no caminho encontrou com a galinha;  apressado,  falou:
-  Nós estamos correndo um sério risco! Os donos da casa compraram uma ratoeira.  Como vamos resolver esse problema?
A galinha respondeu:
-  Não vejo nenhum  problema. Nunca vi alguém pegar galinhas com ratoeira. O senhor é quem deve  estar um pouco preocupado, até porque eu não fico lá dentro da casa comendo a comida  deles, nem fico me esgueirando pelos cantos. Sou uma pessoa importante nesta casa, eu  dou ovos diariamente.
E, assim falando, saiu toda imponente ciscando o chão.
O rato viu que não  tinha jeito de convencê-la e saiu correndo em desabalada carreira. Correu, correu e encontrou-se com o porco. Quase sem fôlego falou:
-  Olha, o problema é bastante sério, compraram uma  ratoeira! O que é que a gente vai fazer?!... A galinha nem ligou...
O porco pensou um pouco e depois respondeu:
-  Meu amigo, o que é que eu tenho com isso? Eu fico quase o dia todo preso  no cercado! Além do mais, o porco é — dentro do reino animal — um bicho importante,  quase que reverenciado! Eles precisam de mim, não vê como sou bem alimentado? E ninguém pega  porco com uma ratoeira... O senhor é que deve estar preocupado. Vou fazer o seguinte:  sempre que eu rezar vou pedir por você, orando que sua morte seja rápida...
Desesperado o  rato continuou correndo e encontrou-se com a vaca que descansava debaixo de uma árvore  frondosa. Chegou perto dela mais cauteloso e falou:
-  Senhora vaca, compraram uma ratoeira! A  fazenda toda corre risco! Eu falei para a galinha, mas ela nem ligou. O porco riu de mim... E  quanto à senhora, pretende fazer o quê?
Respondeu a vaca:
-  Eu??? E eu tenho alguma coisa a  ver com uma ratoeira? Nunca ouvi falar que uma vaca tenha sofrido algum tipo de constrangimento por uma ratoeira! Acho que o preocupado aqui é você... Eu não tenho nada com isso! Se eu fosse você corria e me escondia. Onde já se viu uma vaca ter  medo de uma ratoeira, logo o bicho mais importante do reino animal...
E o rato então,  preocupado e sem ninguém para ajudar, escondeu-se num cantinho e lá ficou quieto.  Nesta noite ouviu-se um grande barulho. A ratoeira tinha funcionado... Os donos da  casa se levantaram. A senhora foi rápido, no escuro, para matar o que houvesse sido preso. A ratoeira pegara uma cobra pelo rabo; era uma cobra muito venenosa e o bicho, vivinho da silva, picou a mão da senhora. E ela começou a ficar muito doente, com muita febre. Seu marido, preocupado porque ela estava com muita febre,  mandou matar a galinha e fazer uma boa canja. Uma canja bem grossa é ótima quando a pessoa está com febre. Mas a senhora não melhorava e teve que ser hospitalizada. Ficou no hospital durante uma semana. Vários parentes e amigos vieram visitá-la. O marido, sem saber como alimentar toda aquela gente que não parava de chegar, mandou matar o porco. Infelizmente, após uma semana senhora veio a falecer. A despesa com o enterro foi muito grande, e o marido viu-se forçado a matar a vaca e vender todos os pedaços para honrar os compromissos assumidos com o falecimento.
Então, a pergunta que devemos nos fazer é:
-  Até quando vamos achar que aquele  acontecimento ou aquela pessoa não tem nada a ver com a gente, não tem nenhum  parentesco, não tem nenhum elo, não tem nenhuma proximidade? Será que não percebemos  que tudo e todos são totalmente interdependentes?
Então, quando alguém comprar uma  ratoeira, prestem muita atenção... Pode acabar interferindo na sua vida!  

Não ao ato médico

O Projeto de Lei do Senado Nº 268/2002 (PLC nº 7.703-C/2006), que institui o Ato Médico, já sofreu algumas modificações ao longo de sua tramitação no Congresso Nacional, mas ainda condiciona à autorização do médico o acesso aos serviços de saúde e estabelece uma hierarquia entre a medicina e as demais profissões da área.
O Conselho Federal de Medicina - CFM afirma que a medicina precisa regulamentar o exercício de suas práticas profissionais, utilizando o argumento histórico de que há dois mil anos não existia um rol de profissões ligadas à saúde, ficando todo diagnóstico e prevenção sob controle dos médicos, num claro objetivo de retomar o controle do mercado.
Em campanha contra essa proposta e trabalhando com base no princípio da multidisciplinaridade na promoção da saúde, adotado pelo SUS - Sistema Único de Saúde, profissionais de diferentes categorias da área de saúde defendem que o CFM se volte para o campo democrático do debate e trate o assunto com uma visão menos corporativista, na tentativa de ampliar a discussão para melhorar o atendimento aos cidadãos. Os médicos podem e devem trabalhar a regulamentação de sua profissão, como forma de a sociedade reconhecer a competência específica desses profissionais, mas não em detrimento de qualquer outra profissão na área da saúde.
O texto atual do PL propõe o retorno a um modelo falido de atenção à saúde, centrado no atendimento clínico, individual, medicamentoso e hospitalocêntrico, o qual não encontra respaldo nem nos organismos internacionais de saúde nem na legislação brasileira, que se valem de um conceito ampliado de saúde e de cuidados.
A discussão envolve todos os profissionais de saúde. A luta tem de ser a favor de ações de saúde que possam tornar o atendimento mais democrático, amplo e eficaz. Os Conselhos permanecem em constante campanha contra o projeto do Ato Médico, demonstrando que o conceito de saúde é muito mais amplo do que apenas o de ausência de doença.

sábado, 6 de março de 2010

"El amor no es un sentimiento, es energía"

***Pessoal assim que eu tiver um tempinho eu tento traduzir ok!!!Esse artigo é muito interessante, foi que me fez ficar curiosa por ler o livro O método da Lita Donoso; eu acredito muito que o potencial de cura está dentro de nós mesmo e que somos capazes de coisas fantásticas!!!!!***


La psicóloga transpersonal plantea que los seres humanos al activar cuatro centros son capaces de superar las enfermedades y vivir en armonía.
Un órgano maravilloso como el cerebro humano funciona al diez por ciento, dice Lita Donoso Ocampo, psicóloga clínica y transpersonal. La autora del libro "El método" plantea que si logramos activarlo en toda su capacidad creativa el resultado nos permitirá vivir al margen del sufrimiento. Demasiado maravilloso como para no intentarlo.
La psicóloga de la Universidad de Chile, que durante 25 años se dedicó al psicoanálisis, escribió la obra basándose en un sistema de autoterapia llamado Alkymia que aprendió con su profesora Fresia Castro.
Lita Donoso, cuyo libro ha estado por varios meses como súper ventas, quiso que cualquier persona pudiera acceder a las claves de esta metodología. Para ello escribió el texto que, asegura, es de fácil comprensión. Tan sencillo que bastaría leerlo para aprender a activar determinados centros que permiten la autosanación.
Sin embargo, siempre surge el interés por escucharla. Fue así que recientemente estuvo en Concepción invitada por la Casa de la Cultura.
En esa oportunidad conversó con el diario El Sur.
-¿En qué consiste "El método"?
-Está basado en una metodología que consiste en activar cuatro centros biológicos que quedan inactivos a partir de los siete años. Son el centro cardíaco, el centro de la palabra, el pituitario y el pineal. Estos centros se relacionan a cuatro glándulas: el timo, la tiroides, la pineal y la pituitaria, las que dejan de funcionar a los siete años, cuando hay un normal decrecimiento de la función hormonal.
La psicóloga explica que sólo conocemos la función biológica de estas glándulas. La propuesta es "reactivarlas a su función energética".
Agrega: "como Humanidad olvidamos las claves energéticas importantísimas asociadas a esos centros y así dejan de funcionar y empieza el proceso de deterioro, enfermedad y muerte".
Pero aquello que parece tan complicado y extraño es, según Lita Donoso, de una simplicidad mayúscula. "Se hace con el pensamiento y el sentimiento. No es nada raro, se hace canalizando el pensamiento y el sentimiento alineados a una fuente de la que somos hechos a imagen y semejanza. Son simples órdenes creativas, vale decir, recuperar el poder creativo del pensamiento y del sentimiento".
Lita Donoso dice que no se debe olvidar que éstos "generan de partida energía, pero también generan realidad".
La psicóloga explica que al activar esos centros se acaban los miedos, carencias y limitaciones y comienza "un proceso creativo que tiende a la armonía, a la salud, a la perfección. ¿Por qué? Porque ese proceso creativo está fundamentalmente centrado en el amor y el amor no es un sentimiento, en verdad es una energía que cohesiona el universo, es una energía que reúne y cuando nosotros canalizamos nuestro proceso creativo en pensamiento y sentimiento hacia esa función, entonces, lo que ocurre en la práctica es que te sanas".
Escepticismo
-¿Usted diría, entonces, que las personas se autoenferman?
-Claro, eso está bien desarrollado en la Psicología tradicional, en la Psiquiatría, en la Medicina. Hay una revolución silenciosa, maravillosa en el mundo de la Medicina que apunta a recobrar estas claves -que nunca han estado ocultas, más bien no reconocidas- de que somos seres energía, de que todo lo que nos ocurre tiene que ver con la energía y que el resultado final dependerá de la energía que decides usar libremente. Si la Humanidad hubiera decidido usar la energía del miedo frente a la gripe A (H1N1) ya no habría humanos.
Lita Donoso declara: "el miedo elimina todo lo bueno de nuestras vidas. Cuando tú eliminas el miedo, lo haces desaparecer de tu existencia, entonces el cuento es otro".
-¿"El método" funcionaría en una persona que no cree?
-Yo dudo mucho que una persona detractora de "El método" lo lea, porque no hay compatibilidad energética. Podría leerlo una persona curiosa, descreída. Afortunadamente "El método" funciona para quien lo practica sea ateo, agnóstico, musulmán, judío, da lo mismo. El único requisito es querer, intencionarlo.
-Sucede que algunas personas dicen que quieren cambiar, pero en realidad no lo desean. ¿Funciona en esos casos?
-Viví 25 años como psicóloga clínica terapeuta y lo que tú dices es completamente cierto. De hecho el porcentaje de personas que deseaban profundamente el cambio era menor. Pero me he dado cuenta de que con "El método", a pesar de las resistencias de la persona, ella tiene una herramienta para eliminar sus propias resistencias. Eso es Alkymia. Es que sin bien estoy planteando que podemos crear el futuro, la maravillosa novedad es que puedes corregir el pasado. Una enfermedad es un error creativo pasado que se manifestó ya físicamente. Cuando tú corriges tu pasado energéticamente, entonces el tumor desaparece, el tendón se regenera, el ADN se corrige. Te estoy hablando de cosas reales que he visto suceder.
-¿Es un proceso gradual?
-Es totalmente personal, porque cada individuo tiene su propia corriente de vida, su propia apertura a lo que tú dices: me mereceré sanarme de un día para otro. Lo que yo he visto es que cuando la persona es capaz de entrar en este proceso co creativo, con la atención, la aceptación y la intención en un 100 por ciento, ella asiste a un milagro en su vida, a un milagro de amor.

Disponivel em http://www.elsur.cl/base_elsur/site/artic/20090907/pags/20090907005700.html